www.passandoalimpo.com

Arthur Godoy Júnior

arthur007@uol.com.br

Telefone e WhatsApp (11) 99118-5007


São Paulo, 14 de fevereiro de 2020

Atualizado às 09h10

online



ABAIXO-ASSINADO EM PROL DO HOSPITAL DA DENGUE DE CATANDUVA

O site Passando a Limpo está realizando uma campanha em prol da instalação imediata do Hospital da Dengue em Catanduva. Não se trata de construir um hospital, mas destinar um espaço na região central para hidratação completa dos pacientes com dengue, com acompanhamento e coleta de material. Segundo especialistas, a hidratação completa auxilia o paciente a combater a doença e aliviar suas dores. Para isso, a unidade precisa estar aberta 24 horas, já que o paciente pode apresentar os sintomas a qualquer hora do dia ou da noite.

Para isso, estamos disponibilizando aos catanduvenses um formulário para a coleta de assinaturas. Os interessados e que apóiam esta iniciativa poderão colaborar com a coleta de assinatura e conscientização da população.

1) Clicar no link. Será aberta uma página do Passando a Limpo com a folha de abaixo-assinado.

2) Imprimir ou tirar xerox de quantas folhas desejar. Levar para amigos, familiares. Sindicalistas ou empresários podem espalhar a folha para os associados ou funcionários.

3) Coletar pelo menos quatro assinaturas em cada linha. Se a pessoa quiser escrever o nome ou colocar número de documento, sem problema. Se quiser apenas assinar, sem problema.

4) Lojistas que tiverem interesse, podem deixar a folha no balcão, solicitando a assinatura dos funcionários e clientes.

5) Após a coleta dessas assinaturas, vamos apurar os endereços para retirada. No Carnaval, estaremos retirando pessoalmente todas as folhas. Vamos precisar realizar um mutirão (se tudo der certo), e entregar ao prefeito Afonso Macchione em mãos ou assessor direto do gabinete.

6) Os colaboradores também poderão encaminhar os formulários preenchidos com assinaturas no formato PDF ao e-mail ou número de whatsapp abaixo.

7) O momento não é de crítica, mas de união.

8) Qualquer dúvida, só encaminhar a pergunta para (11) 99118-5007 ou arthur007@uol.com.br ou através de minha página no Facebook.

9) Na página está o nome do site, o endereço do Passando a Limpo e o nome do responsável (não pode haver material apócrifo)

10) Muito obrigado a todos.

ARTHUR GODOY JÚNIOR

PARA ACESSAR O FORMULÁRIO PARA IMPRESSÃO - CLIQUE AQUI OU NA IMAGEM ACIMA


A notícia mais importante desta atualização

Acuado, Macchione cede e anuncia "Hospital da Dengue"; manifestação defenderá ampliação do horário de atendimento

Todos os detalhes, logo abaixo...


VERDE QUE TE QUERO VERDE...

Deve existir algum motivo importante para que esta piscina, numa das casas da rua Floreal, esteja deste jeito...





tête-à-tête

SALOMÉ PACHÁ

Ela tem linha direta com o governo e ainda nutre esperanças...

Alô, alô. Oi Ronaldinho, tudo bem? É a Salomé, amiga do Afonso. Isso, eu mesmo. Você pensou que eu não iria ligar, não é mesmo. Mas eu ligo. Sempre é bom conversar, não é mesmo? Como estão as coisas, querido? Correndo muito? Tem que correr mesmo, Ronaldo. Senão, o mosquito te pega. Ah, o pessoal está exagerando? Não é bem como as pessoas estão dizendo? Mas não sei, Ronaldinho. Está tudo mundo falando que está com dengue, o pessoal indo para a UPA... Ah, você sempre vai lá? Eu vi na televisão, na TV Tem. Você fala tão bonito, explica as coisas tão direitinho. Mas estou preocupada, Ronaldo. Verdade que tem gente morrendo? Ah, o problema é do vetor? Mas o que é vetor? Como é? Dá para tentar explicar em português, querido? Não estou entendendo nada do que você está dizendo... Sim, eu sei que o povo não colabora. Mas será que três postos resolvem o problema? Ah, o vetor aponta que resolve? Nossa, mas este vetor deve ser importante. Mas dá para abrir o hospital? Como é? O vetor não deixa? Mas quem é que manda? Como? O vetor do vetor? Mas dá para esquecer um pouco o vetor? Falaram que tem gente morrendo. Ah, você está acompanhando tudo de perto? Mas é melhor chegar mais perto Ronaldo, pois daqui de fora parece que você está longe. Eu sei, eu sei, eu vi você na TV Tem. Mas o problema é que o pessoal está reclamando. Não estão perdoando nem o Afonso, coitado. Estão falando do mal do Afonso pelas esquinas. Ah, já era esperado? Mas foi o vetor que falou isso para você? Então, a coisa está tão complicada que antigamente os visitadores visitavam os criadouros. Hoje, são os criadouros que vão atrás dos visitadores. Ah, tem gente que não deixa o visitador entrar? Mas Ronaldo, tem água parada para todo lado. Minha calha? Se eu subi em cima da casa para ver a calha? Ronaldo, eu estou com 76 anos. Não consigo nem subir na cadeira para pegar fósforo em cima do armário, você quer que eu suba na calha? E se eu cair? Quem me socorre? Ah, o Samu? Mas o Samu tem viatura para socorrer? Ah, se não tiver em outra ocorrência? Então, se tiver, eu fico esperando no chão? Sendo mordida pelo mosquito? Ah, economiza no atendimento? Sou socorrida com fratura e dengue ao mesmo tempo? Ah, isso melhora o vetor? Sabe Ronaldo, o que você faz com este vetor? Desligou. Pelo visto, com o Ronaldo estamos picados e mal pagos.


Aí assistindo a Globo agora vejo o reclame sobre o programa cidade limpa... Fala sobre um bairro chamado Augusto Romão. Rapaz nem os nomes de bairros estão acertando. O bairro é Agudo Romão. Talvez seja por isso que em alguns bairros não passou o caminhão, não encontraram o bairro por estar com o nome errado.

Mande seu recado, sua reclamação, sugestão, ajude a sua cidade. O e-mail para contato é arthur007@uol.com.br. Você pode clicar no link acima e escrever seu comentário.





- Após críticas da população e da Câmara Municipal, manifestação marcada para a tarde desta sexta-feira e os números cada vez maiores do número de casos de dengue, o prefeito Afonso Macchione anunciou no final da tarde de ontem, quinta-feira, a abertura - a partir da próxima segunda-feira, 17, de um "Centro de Hidratação", que funcionará no Postão da Rua Pará, no período de segunda a segunda entre 07h00 e 19h00.

- O prefeito e o secretário de Saúde, Ronaldo Gonçalves, não querem dar o braço a torcer e evitam denominar o lugar como "Hospital da Dengue". Inclusive, na manhã desta sexta, Gonçalves chegou a dizer para a população que o atendimento no local será idêntico ao prestado nos postos de saúde, pedindo para que as pessoas continuem nos bairros.

- O Hospital da Dengue funcionou em 2015 na administração Geraldo Vinholi e era uma reivindicação da população. O prefeito e o secretário eram contra a abertura da unidade, alegando que os números ainda não indicavam esta necessidade. No imprensa oficial de ontem, Macchionou publicou um decreto reconhecendo a epidemia.

- Apesar de tentarem evitar o nome de "Hospital da Dengue", o secretário explicou que o "Centro de Hidratação" vai ter todo o aparato, com soro, médicos, enfermeiros, realização de exames. Ou seja, um hospital.

- Porém, as entidades que estão preparando uma manifestação para a tarde desta sexta-feira não estão satisfeitas. Segundo elas, o horário ainda é insatisfatório. O presidente do Sindicato da Saúde, José Vendramini, informou que a reivindicação é a abertura do hospital 24 horas, já que não há hora para a dengue apresentar seus sintomas mais dolorosos. Com o hospital fechando às 19h00, todos os pacientes voltarão a ser obrigados a procurarem o UPA, superlotando o setor.

- A manifestação ocorre a partir das 17h00 em frente à prefeitura municipal. Na segunda-feira, o Conselho Municipal de Saúde irá se reunir extraordinariamente para votar indicação para aumento no horário de atendimento do hospital. Talvez, essa orientação seja aprovada. Após ser vetada na última reunião, pelo menos dois conselheiros apresentaram os sintomas da dengue e sentiram na pele as dores da doença.

- O Programa Cidade Limpa, realizado pela prefeitura e Rede Globo, está recebendo críticas. Motivo: não está cumprindo o roteiro anteriormente informado.

A cada atualização, esta coluna receberá novos comentários e informações. Colabore enviando seu e-mail para arthur007@uol.com.br, com o título "Direto da Redação", ou através do WhatsApp - (011) 99118-5007. Após recebermos a informação, realizaremos a checagem e publicação. Sigilo absoluto. Passando a Limpo: é você quem faz!


- Após levar pau de tudo quanto é lado, pelas redes sociais e na Câmara Municipal, o prefeito Afonso Macchione teve que ceder e anunciar a abertura do Hospital da Dengue. Para não torcer tanto o braço, Macchione e o secretário Ronaldo Gonçalves criaram o termo "Centro de Hidratação".

- Mas como não se pode esperar muito de um governo que está caindo pelas tabelas, o horário do hospital é assim meio que ridículo: das 07h00 às 19h00. Ou seja: enquanto tiver sol. As pessoas querem que o hospital funcione 24 horas ou pelo menos até a meia-noite.

- O Mahatma Gandhi anunciou que irá ceder os funcionários e o gerenciamento do hospital, sem custo para a prefeitura. Porém, na manhã desta sexta-feira, o próprio prefeito Afonso Macchione disse que a prefeitura deverá investir no hospital cerca de R$ 750 mil até o mês de abril.

- Falando em abril, este é o mês que o prefeito acredita que as coisas estarão se normalizando na cidade. Muito bem, agora só falta acertar esta data com o mosquito.

- Depois da última sessão da Câmara Municipal, na terça-feira, está mais que comprovado que o prefeito Afonso Macchione é persona non grata dentro do legislativo. As pauladas desferidas pelo vereador Amarildo Davoli não deixam dúvida desta situação. Como nos tempos de Vinholi, Amarildo abriu a caixa de ferramentas e usou todos os adjetivos conhecidos para qualificar o prefeito. Numa de suas falas, ainda completou: "e aí vem um merda desses falar mal da Câmara".

- A irritação de Amarildo tem sua razão de ser, apesar de sua fala ser reprovável no ambiente parlamentar: o vereador esteve em um posto de saúde e praticamente foi hostilizado pelas pessas. Nesse ponto, Davoli percebeu que a coisa estava ficando feia para a imagem da Câmara. E perdido por um, perdido por cem: pau no prefeito.

- Aliás, sobrou até para o dr. Pizarro, que participou da audiência pública, jogou a culpa da dengue na população e depois passou a ser criticado. Mas as críticas da última terça-feira foram as piores.

- Inclusive, após a fala de Amarildo, o pronunciamento de Maurício Gouvêa chamando Macchione de assassino e Roberto Cacciari de "babaca" virou cantiga de roda infantil.

- Quem poderia supor, em sã consciência, que o fim desta administração Afonso Macchione iria terminar desse jeito? Para quem foi ungido pela população como o "melhor prefeito que esta cidade já teve", e arrasou na última eleição, já foi cassado duas vezes, governa por liminar e não tem o apoio da população. Muito pelo contrário.

- Quem anda sumida é a vice Marta, que foi prefeita por alguns meses no ano passado. Não passa pela mente de Marta voltar a assumir o cargo.

- A verdade é que está todo mundo esperando o dia 01 de janeiro para que possamos ter um novo governo.

- E como desgraça pouca é bobagem, os bastidores dizem que Macchione pode entrar para as estatística de mais um caso de dengue. Será?

- Meu nome é Arthur Godoy Júnior.

- Este é o site Passando a Limpo, atualizado diretamente de São Paulo.

- E amigos leitores, fiquem bem. Onde quer que vocês estejam...


Opinião

Hora de evitar os corpos...

Nas redes sociais o que mais se discute é de quem é a culpa pela epidemia de dengue que assola Catanduva. Os grupos se dividem. Simpatizantes do governo jogam a culpa na população. A população diz que a culpa é da prefeitura e do próprio catanduvense, que não respeita os conceitos básicos de saúde. Pessoal da oposição aponta o dedo para o prefeito Afonso Macchione, o secretário Ronaldo e o Lincoln, do Emcca. Neste jogo de empurra e responsabilidades, o mais importante acaba sendo esquecido: o trabalho de atendimento ao paciente, ao cidadão comum que não para onde correr e precisa do serviço pública para ser socorrido com os terríveis sintomas da dengue.

Neste domingo, ficamos sabendo que existem 30 pessoas com dengue internadas no Emilio Carlos. Se estão internada é porque a doença está em seu estágio avançado, com perigo de morte. A dengue derruba o número de plaquetas e qualquer doença - principalmente as cardíacas e respiratórias - pode se agravar. Enquanto muitos olham os pronto-socorros, lotados, um outro drama está dentro dos hospitais: o perigo de falta de leitos. Catanduva recebe além dos próprios catanduvenses, vários pacientes da região. Sem um serviço razoável de saúde em algumas cidades, correm para os hospitais Padre Albino e São Domingos. Muitos deles, são conveniados com os planos de saúde destas duas instituições.

Um dos profissionais da saúde, que conversou com Passando a Limpo, explicou que o atendimento nas UBs e hospitais, além da UPA, é demorado por conta do resultado do exame. Porém, o problema maior não está neste atendimento primário, mas sim nos desdobramentos da constatação da dengue. O paciente precisa de hidratação contínua e por um longo período. Pela falta de estrutura, é constatada a doença, o paciente é parcialmente medido e logo em seguida liberado. Vai para casa, e acaba contando com a sorte. Se melhora, tudo bem. Caso contrário volta para a UPA num estágio mais avançado, é encaminhado aos hospitais, internado e pode morrer.

Quando falamos e defendemos publicamente um hospital da dengue estamos buscando desafogar as Unidades Básicas de Saúde e dar aos doentes todo o amparo público para esta situação. No hospital da dengue, 24 horas, as pessoas poderão se hidratar, receber o acompanhamento, e a liberação ocorre num estágio menos grave da doença. Um acompanhamento perfeito e de perto evita que a doença possa evoluir. Claro que poderemos registrar óbitos, mas temos certeza que em número bem menor do que as atuais expectativas.

Tudo é tão óbvio que chega a ser uma insanidade a demora na abertura do hospital. As redes sociais debatem de quem é a culpa pela dengue. Isso é uma discussão infinita. Mas a demora na abertura de um hospital que poderá evitar mortes na cidade, não há dúvida que é responsabilidade única e exclusiva do prefeito e da pessoa que ele escolheu como secretário numa das pastas mais importantes da administração.

Temos que evitar mortes. O resto, a gente corre atrás. Esta é a opinião do site Passando a Limpo.



A notícia não tem hora para acontecer...

GRUPOS DE WHATSAPP PASSANDO A LIMPO

Os leitores do site Passando a Limpo que tiverem o aplicativo WhatsApp podem receber em primeira mão as notícias mais importantes do dia. Política, cotidiano, esportes, prestação de serviços, utilidade pública, administração, enfim, tudo isso em seu aparelho celular.

Acompanhe praticamente em cima da hora o fato, as repercussões, as opiniões. Saiba antes de todo mundo aquela notícia que será a discussão do dia seguinte.

Para participar é fácil.

É só clicar no link abaixo.

Afinal, a notícia não tem hora para acontecer...

Clique no link abaixo (ou nas imagens acima), e faça parte de nossa comunidade.

VOCÊ TAMBÉM PODE PEDIR O ACESSO ATRAVÉS DO WHATSAPP (11) 99118-5007



- Na noite de ontem, terça-feira, aconteceu mais uma sessão do legislativo e demonstrou que os vereadores decidiram abrir guerra aberta contra o prefeito Afonso Macchione. Com exceção de Cidimar Porto, que defendeu o atendimento da população nos postos de saúde, os demais abriram caixa de ferramentas e bateram sem dó. Mas sem dó mesmo. Maurício Gouvêa e Amarildo Davoli elevaram o tom e responsabilizaram diretamente o governo municipal pela epidemia de dengue que assola a cidade. Nilton Cândido disse que estava à disposição para denunciar Macchione na promotoria pública. Wilson Paraná e Gaúcho completaram a noite com críticas ao prefeito.

- Sobrou até para Roberto Cacciari e José Renato Pizarro, que participaram da audiência pública onde se discutiu a epidemia da doença.

- Maurício Gouvêa chamou o prefeito Afonso Macchione de "assassino", por estar virando as costas para a população na epidemia de dengue. Gouvêa também chamou Roberto Cacciari de "babaca", ao criticar a fala do empresário na última audiência pública, quando Cacciari disse que "a dengue veio para ficar. Para Maurício, "só se for para ficar na casa dele, pois na minha cidade não!".

- Cidimar Porto, que no passado chegou a procurar o Ministério Público contra Geraldo Vinholi, agora mudou de idéia. Ele diz que é favorável o atendimento dos pacientes com dengue nos postos de saúde por entender que é mais perto para a população. Para o vereador, o atendimento nos postos de saúde acaba "facilitando a vida das pessoas". Mas esqueceu de falar que as pessoas que vão aos postinhos muitas vezes estão sendo encaminhadas ao UPA pela demora na emissão do exame de sangue.

- Ditinho Muleta criticou a defesa do atendimento nos postinhos de saúde. Segundo Ditinho Muleta, os postos de saúde estão "transbordando de gente". Perguntou o que o secretário Ronaldo Gonçalves está fazendo no cargo. Está recebendo os "10 contos"? Ele defendeu a criação imediata do hospital da dengue. Pediu ao prefeito Afonso Macchione andar pelos postinhos.

-Ditinho falou sobre a crise na central de atendimento, que está com falta de funcionários. A prefeitura não chama os aprovados em concurso público. Nesta terça-feira, muitas reclamações neste sentido. As pessoas sofreram na fila de horas.

- O mesmo vereador - Ditinho Muleta - falou sobre o projeto do prefeito Afonso Macchione que tenta reduzir o teto de pagamento de Requisição de Pequenos Valores, RPV. Atualmente, o RPV é pago num teto de R$ 31 mil. Ou seja: quem tem dinheiro para receber da prefeitura, até R$ 31 mil, recebe de uma única vez através de RPV e de uma maneira rápida. Macchione quer abaixar o valor para R$ 12 mil. Se o projeto for aprovado, qualquer valor acima de R$ 12 mil vai se transformar em precatório, sem prazo para pagar.

- Wilson Paraná deu parabéns ao vereador Ditinho por ter localizado o projeto e defender os funcionários. Aproveitou para criticar o Simcat, já que o sindicato é quem deveria ter ficado de olho neste projeto.

- Nilton Cândido disse que na época de Geraldo Vinholi esteve na promotoria para pedir um inquérito para apurar os cados de dengue, e agora - na administração Macchione - também estará acompanhando qualquer vereador no Forum para comunicar o Ministério Público sobre a doença.

- O vereador Nilton Cândido disse que é contra o projeto de Macchione sobre o RPV. E aproveitou para lembrar que o grupo Vem Pra Rua desapareceu da Câmara Municipal, e completou: "inclusive o senhor Fábio Manzano. Batiam cartão toda sessão, mas agora que é o Macchione, da mesma casta social, desapareceram".

- Amarildo Davoli desceu o sarrafo sem dó ou piedade. Chamou Renato Pizarro de "covarde, um pilantra e um picareta, larápio e sem vergonha. E tenho prova disso. Um verdadeiro pilantra e larápio".

- Amarildo Davoli chamou o secretário de Saúde é "bandido e incompetente, um bandido e criminoso". Disse que o prefeito não está nem aí. E lembrou que não é culpa dos vereadores a atual situação de matos e da dengue na cidade.

- Davoli diz que é a favor da abertura de um hospital da dengue, e criticou as orientações da secretaria de Saúde em suas orientações. Diz que a secretaria de Saúde está cometendo um crime doloso. "No caso da dengue, os agentes criminosos são o prefeito, o secretário, entre outros. Quem está sentado na secretaria da Saúde é o Aedes Aegypti e não o Ronaldo". Chegou a dizer que os vereadores são hostilizados nos postinhos.

- Amarildo diz que "estão camuflando" os números de mortos.

- E ainda mandou um recado para Afonso Macchione: "se não tem condições de administrar, pede para sair". E completou, aos gritos: "porque tu é arrogante, um larápio, eu achava que era só o Vinholi, mas tu não vale o sal do batizado, eu achava que era só o Vinholi, mas tu é um pilantra, um larápio, um incompetente".

- vereador André Beck teve que sair no meio da sessão por estar se sentindo mal. Segundo Luis Pereira, temos que torcer para que não seja dengue.

- Amarildo Davoli terminou sua fala de uma maneira singela: "Não tenho rabo preso com filho da puta nenhum".

- Julgamento de Macchione adiado para 10 de março.

- Acontece na tarde de hoje, quarta-feira, a partir das 15h00, reunião no Sindicato da Saúde, localizado no centro da cidade. Segundo o presidente José Vendramini, na pauta está a mobilização da sociedade civil organizada para um manifesto pacífico em prol do Hospital da Dengue. Sindicalistas, lideranças políticas, religiosos, e a população em geral estão convidados.

- E as expectativas acabaram se confirmando. Os números anunciados na noite de ontem, segunda-feira, registraram que Catanduva já ultrapassou - oficialmente - a marca dos 1000 casos positivos de dengue na cidade. Segundo o chamado boletim de dengue, já são 1134 casos, sendo que quatro mortes confirmadas e uma outra em investigação. O próximo boletim da dengue será divulgado nesta quarta-feira, e as apostas arriscam que até a semana que vem este número oficial possa dobrar.

- Afinal, existem 2220 casos esperando confirmação. Nos últimos dias, o site Passando a Limpo recebeu diversas informações de pessoas que chegaram a falecer por conta da dengue, mas há a necessidade de confirmação, além de exames e constar no atestado de óbito.

- Esta semana será de chuvas em Catanduva. O problema será com a volta do calor, e a proliferação do mosquito. Nesta terça, começa o programa Cidade Limpa, que até o dia 19 estará recolhendo todos os entulhos pelos quatro cantos da cidade.

- Em reunião com o superintendente do Centro de Controle de Endemias da Secretaria de Saúde do Estado, Marcos Boulos, na sede da Sucen, a deputada Beth Sahão (PT) buscou ajuda do órgão estadual para a epidemia de dengue em Catanduva.

A parlamentar solicitou a liberação de novos lotes de inseticida para combater o mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, zika vírus e chikungunya.

- A deputada também recebeu a informação que a secretaria estadual de saúde irá liberar recursos para compra de medicamentos que aliviam os sintomas da doença, além de soro fisiológico.

Boulos admitiu que o Estado precisa ajudar Catanduva, pois a cidade pode ter alta mortalidade em razão da dengue tipo 2, quando o indivíduo é infectado pelo segundo sorotipo do vírus, que é considerado um dos mais agressivos.

- Acontece nesta terça-feira mais uma sessão da Câmara Municipal. O avanço da dengue será um dos assuntos principais na tribuna.

- Por enquanto, o governo não sinaliza a criação de um centro de hidratação, popularmente chamado de Hospital da Dengue.

- Novos semáforos na cidade: os cruzamentos com as ruas Bahia e Cuiabá. Segundo a prefeitura, isso irá melhorar o fluxo de veículos.

- Falando nisso, ontem, segunda-feira, o trânsito no centro estava infernal. Ruas foram bloqueadas para obras na região.

- Nesta segunda-feira, a Diretoria Regional de Saúde, localizada em Rio Preto, deverá notificar o prefeito Afonso Macchione e o secretário de Saúde, Ronaldo Gonçalves, a respeito dos casos de dengue na cidade e as providências que o governo municipal deverá tomar para tentar minimizar o problema.

- A DRS será acionada por hospitais da cidade que já verificaram que o número de leitos para o atendimento de casos de pacientes com dengue, no estágio mais avançado da doença, chegou ao limite. Para se ter uma idéia, no Hospital Emilio Carlos estão 30 pessoas internadas com a doença, sendo que entre elas existem alguns pacientes da região. Mas a maioria é de Catanduva.

- Os hospitais verificaram que apesar da lotação existente em seus pronto-socorros, o problema maior é relacionada com a hidratação de pacientes. Os hospitais atendem os pacientes, realizam a coleta de amostras, mas não conseguem realizar a hidratação no número de pessoas que procuram a rede hospitalar. Com os leitos chegando ao máximo suportado, e verificando que o atendimento inicial ainda está funcionando, os profissionais de saúde encontraram o problema maior: o sistema de hidratação em Catanduva não está funcionando da maneira correta.

- Segundo informações coletadas pelo site Passando a Limpo, o ideal é a hidratação por um período prolongado. Os postos de saúde que foram abertos pela prefeitura funcionam de final de semana em horário restrito, ou seja, das 07h00 às 17h00. O ideal é que a hidratação não tenha hora para terminar, sendo que o paciente só deve ser liberado após seu reestabelecimento dos sintomas mais difíceis de suportar.

- Havia um compromisso entre os hospitais e a Secretaria Municipal de Saúde de uma reavaliação da situação quando os hospitais chegassem ao limite. Isso já aconteceu, mas o secretário Ronaldo Gonçalves não convocou a reunião. Os hospitais trabalharam ainda com a expectativa de abertura de um hospital da dengue, mas o governo se nega a abrir o hospital. Assim, o caminho natural é a comunicação à Diretoria Regional de Saúde, que tem poder de determinar a abertura do hospital da dengue ou dos postinhos em horários ininterruptos.

- Fonte ouvida pelo site Passando a Limpo garantiu que sem um sistema de hidratação correto e ininterrupto, a piora no quadro de saúde dos pacientes será uma constante. Atualmente, as pessoas procuram os postos, os hospitais e a UPA, onde são atendidos e realizada a coleta. Em caso de confirmação da doença é ministrada uma hidratação parcial e a liberação. As pessoas vão para casa e havendo uma piora, procuram a UPA. Dependendo do quadro, são encaminhadas aos hospital Padre Albino/Emilo Carlos ou São Domingos.

- Além dos 30 leitos disponíveis no Emilio Carlos, outras 15 camas são reservadas para doentes da dengue. Mas a intenção é prevenir uma saturação completa do sistema, antes que todos os leitos sejam utilizados.

- A prefeitura de Catanduva não tem em seus planos a abertura dos postinhos 24 horas. Por enquanto, pago o governo, os números registrados até agora não justificam a abertura dos postinhos e muito menos o hospital da dengue.

- Algumas pessoas estão confundindo a criação do hospitalm com a construção de um novo edifício. Não é assim. Na realidade, a prefeitura usa um prédio já existente, instalando as camas, os equipamentos de soro, os profissionais, e a coleta de sangue.

- Tanto o prefeito quanto o secretário argumentam que apenas 1200 atendimentos diários justificariam a abertura de qualquer hospital exclusivo.

- Neste último final de semana surgiram a informação de mais duas suspeitas de morte por dengue.

- A notificação da DRS acontecerá nesta segunda-feira, e em seguida o órgão deverá convocar o prefeito e secretário para explicações.

- Nesta segunda, um novo boletim da dengue será emitido, e a expectativa é que os casos positivos ultrapassem os mil pacientes.


PARA SABER MAIS INFORMAÇÕES DE CATANDUVA E REGIÃO:


Tempo e temperatura


Google


Atenção!

Para ter Passando a Limpo em seu órgão de informação, ou receber material editorial de Arthur Godoy Junior, entrar em contato com a direção do site pelos telefones, e-mail ou endereços citados nesta página. Consultorias em jornalismo e estratégias de informação também podem ser adquiridas pelo mesmo método.


ENTRE EM CONTATO

(011)

99118-5007

ou...

(011) - 99118-5007 - WHATSAPP

E-mail: arthur007@uol.com.br


PODERES


Se você gostou deste site, acha que falta alguma coisa, colabore com a gente. Envie e-mail para arthur007@uol.com.br, ou telefone para (11) 99118-5007. Precisamos do seu apoio e incentivo, já que esta página é editada em São Paulo - S.P., a 385 km de Catanduva e região. Nossa intenção é informar, debater e ajudar. Mande suas informações, fotos, comentários. Ajude a manter este espaço. Agradecemos desde já. (Passando a Limpo)



Passando a Limpo é uma publicação on-line do jornalista Arthur Godoy Júnior (MTB 26.822) Endereço para contato: Rua Domingos Teotônio Jorge nr. 61 - Aricanduva - São Paulo - S.P, CEP 03904-040. Telefones: (11) 99118-5007, (0xx11) 2725-1346. E-mail: arthur007@uol.com.br - Hospedado na Locaweb - São Paulo. On-line desde 19/01/2003.